Foram aprovadas, na última sexta-feira (28), durante a realização da Conferência Municipal de Cultura, as metas e ações do texto base do Plano Municipal de Cultura, que, após análise e votação da Câmara Municipal, deverão nortear a política cultural do município nos próximos anos. Quatro eixos temáticos serviram como base para a elaboração do documento: Implementação do Sistema Nacional de Cultura; Produção Simbólica e Diversidade Cultural e Cidadania; Direitos Culturais e Preservação de Patrimônio e Cultura e Desenvolvimento.

O evento teve início na quinta-feira (27) e foi realizado na Pinacoteca Municipal Antônio Benevides Filho, no Centro. Ao longo dos dois dias, os representantes da sociedade civil e do poder público, que compuseram os grupos responsáveis pela aprovação do plano municipal, também participaram da eleição do primeiro Conselho Municipal de Cultura. O órgão, que tem como presidente a responsável pela pasta da Cultura, no município, Rosilane Matos, é composto por quatro representantes do governo e quatro da sociedade civil (Artes Cênicas, Música, Artes Plásticas e Artesanato e Cultura Popular e Literatura).

A secretária definiu a conferência como “um evento ímpar, de extrema importância para o debate em torno das políticas públicas culturais e, consequentemente, para o desenvolvimento do setor em Rio Bonito”.

A Conferência Municipal de Cultura também contou com a realização das palestras do diretor de divulgação da Federação de Teatro Associativo do Estado do Rio de Janeiro (FETAERJ), Alexandre Corecha e do analista do Sebrae – São Gonçalo, Edilson de Jesus.

Também presente no evento, o chefe de gabinete, Waldir Júnior, afirmou que um dos grandes acertos desta gestão foi a criação da Secretaria de Cultura.

– Rosilane e toda sua equipe estão de parabéns pelo trabalho desenvolvido durante esses dois anos e meio. Tivemos recentemente um belíssimo festival de Teatro no município, que, não somente, nos presenteou com espetáculos de qualidade, como colaborou para impulsionar a economia e o turismo local. E ainda teremos este ano o Festival da Canção e a Virada Cultural – acrescentou.

Por Rodrigo Stutz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *