Mais de duas mil pessoas prestigiaram a primeira Virada Cultural do município, evento promovido pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Cultura, que, de 2/10 a 4/10, ofereceu à população local e da região diversas atrações artísticas. A programação incluiu espetáculos teatrais, apresentações musicais e de dança, exposição de telas, rodas de capoeira, fastdraw, folia de reis, roda cultural, entre outros.

De acordo com a responsável pela pasta da Cultura, Rosilane Matos, a Virada Cultural, que aconteceu em diversos pontos da cidade, foi um marco na história do município.

– O riobonitense não precisa sair de Rio Bonito para consumir arte. Temos nos esforçado ao máximo para garantir à população, eventos de qualidade e, consequentemente, a construção de referências culturais. O que traz público são o comprometimento e a responsabilidade dos profissionais que atuam na área, e isso nós temos. Por isso, não tenho dúvidas de que o evento foi um sucesso – destacou.

Um dos organizadores da intervenção cultural, o ator, diretor e dramaturgo Bruno Comitre, frisou que o objetivo principal da iniciativa foi ocupar a cidade com entretenimento, a fim de celebrar a cultura.

– Nosso objetivo é instituir gradativamente a formação de público local para todos os tipos de arte. Dessa forma, também estaremos atualizando o cidadão do município sobre tudo o que está rolando no cenário cultural do país – explicou.

Evento tradicional no município, o Festival da Canção, que este ano contou com as categorias Amador, Estudantil e Melhor Intérprete do Festival, também fez parte da intervenção cultural.

Compositor a aproximadamente 30 anos, o músico Carlos Almeida, de 67 anos, levou o prêmio de Melhor Canção da categoria Amador, com a música “Em busca de um novo caes”, e faturou R$ 2.000, seguido de Victor Cupertino e Matheus Prevot, que apresentaram as canções “Idas e Vindas” e “Canção da Viagem” e embolsaram R$ 1.000 e R$ 500, respectivamente.

Para o vencedor, o festival é de extrema importância para o desenvolvimento da cultura no município, já que valoriza o trabalho de compositores, cantores e músicos, e por isso deve sempre fazer parte do calendário anual de eventos da Secretaria de Cultura.

– Eu, como um apaixonado pela música, me sinto honrado em ganhar um prêmio como este. É mais uma prova do reconhecimento de meu trabalho, que é o mais importante. Iniciativas como esta estimulam outras pessoas a estudarem música e colaboram para a formação de público no município – acrescentou.

A cantora Carla Moreno foi escolhida a melhor intérprete do festival, sendo premiada com R$ 500. Já a categoria Estudantil, cuja premiação foi a mesma da amadora, teve como vencedores os compositores Samara Pereira, Evelyn Monteiro e Bruno Silveira, que conquistaram os primeiro, segundo e terceiro lugares, com as canções “Por um triz”, “Presença” e “Te ouvir, te ver, te amar, te ter”, respectivamente.

A iniciativa da Prefeitura rendeu elogios de artistas locais, como a cantora, atriz e estudante do curso de Artes da Universidade Federal Fluminense (UFF), Larissa Moraes. Para ela, a realização de um evento por meio do qual os artistas podem expor seus trabalhos à população e à própria classe artística agrega muito valor ao município.

– A Virada Cultural é uma excelente forma de valorizar a expressão artística da cidade e dar oportunidade aos artistas da região. Nossa classe sabe o quanto é difícil encontrar uma estrutura como esta para divulgar nosso trabalho – disse.

Por Rodrigo Stutz

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *