O Centro de Hemoterapia Dr. Edson José da Silva de Rio Bonito completa 24 anos nessa quarta-feira (4). O Banco de Sangue, como é conhecido, funciona em prédio anexo ao Ambulatório Municipal Manoel Loyola, na Mangueirinha. Embora o dia seja de festa, o Banco de Sangue não tem muitos motivos para comemorar. A média mensal de doações não tem sido proporcional às demandas das unidades de saúde conveniadas ao órgão, que é referência na região, que fornece plasma (parte mais líquida e clara do sangue) e concentrado de hemácia (parte mais sólida e escura do sangue) para os municípios de Silva Jardim, Tanguá, Itaboraí e Casimiro de Abreu, além de unidades locais, como o Hospital Regional Darcy Vargas, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e a Clínica de Doenças Renais.

Mesmo com todo o trabalho de conscientização em torno da importância da doação de sangue, atualmente o estoque do município é baixo. A situação piora ainda mais durante os períodos de festividades, como o réveillon e o carnaval, e os feriados prolongados, como a Semana Santa, pois o número de acidentes aumenta e, diferentemente da expedição (realizada durante as 24 horas dos sete dias da semana), a coleta de sangue é interrompida.

Segundo os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde, para se tornar um doador voluntário é necessário estar bem de saúde; ter entre 16 e 67 anos (menores de idade somente com autorização do responsável); pesar mais de 50kg; não ter ingerido bebida alcoólica durante as 24 horas que antecedem a doação; ter dormido na noite anterior; não ser usuário de drogas ilícitas; não estar grávida, não estar amamentando e não estar em jejum (evitar alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação). Também é indispensável a apresentação de um documento oficial de identidade com foto.

Onde fazer a doação – O Centro Municipal de Hemoterapia Dr. Edson José da Silva, localizado na Avenida Martinho de Almeida, nº 222 (Anexo ao Ambulatório Municipal Manoel Loyola Silva Junior), no bairro da Mangueirinha, realiza a coleta de sangue de segunda à sexta-feira, das 7:30h às 12h. A unidade é frequentemente fiscalizada pelo Ministério da Saúde e pela Vigilância Sanitária.

Texto: Denilson Santos

Fotos: Galileu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *