Cerca de 900 alunos de onze escolas municipais se divertiram com o espetáculo teatral interativo “A Viagem de uma Estrela”, encenado nesta quinta-feira na quadra de esportes da Escola Municipal Honesto de Almeida Carvalho (EMPHAC), na Mangueirinha. As apresentações fazem parte das atividades complementares para alunos do 4º e 5º anos das escolas públicas participantes do Programa Caminhos para a Cidadania. O evento, fruto de uma parceria entre a secretaria de Educação e o Instituto CCR.

Na encenação, Lucas, um aluno não muito obediente, recebe um desafio de seu professor: fazer um trabalho sobre a importância das regras em nossas vidas. Ele decide então usar seu livro preferido, “O Pequeno Príncipe”, e a sua imaginação a fim de criar a divertida história em que o protagonista é o príncipe de um planeta muito desorganizado por conta de sua teimosia. Para mudar essa situação, ele embarca numa viagem na qual conhece personagens que ensinam valiosas lições para o pequeno governante.

Essas lições são relacionadas a fatos do dia a dia e busca desenvolver a cidadania dos espectadores. Reciclagem do lixo, preservação da natureza, respeito ao próximo e as diferenças, foram alguns dos temas abordados na peça.


“Para nossos alunos, que estudam numa escola que fica numa comunidade rural, foi muito importante eles participarem dessa atividade cultural, já que muitos deles nunca tinham assistido a uma peça. Essa é uma forma lúdica de aprender, pois eles conseguem ver na prática tudo o que trabalhamos na sala de aula”, garante a Professorada escola municipalizada Santos Loureiro, Isabela Siqueira Cruz.

Espetáculo Inclusivo – O espetáculo, que reuniu crianças de várias idades, contou com a presença dos alunos do Centro de Educação Especial José Reis, que teve o apoio da intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), a professora do Espaço Bilíngue Libras/Língua Portuguesa, Fernanda Crosoé, que transmitiu para os alunos surdos as emoções do que foi encenado pelos atores na peça.

“É de suma importância que todos os espetáculos tenham alguém que viabilize essa fala, traduza a realidade que está acontecendo, para que os alunos tenham compreensão da mensagem que está sendo passada, como a questão do lixo, a questão da limpeza e o cuidado com a natureza, e respeito ao próximo e as diferenças. Essa sensibilidade da língua é algo que faz com que os alunos surdos venham a participar do mundo maravilhoso que nós temos”, afirma a professora da Sala de Recursos Multifuncional do Colégio Municipal Maurício Kopke, Leila Miranda.

O espetáculo, fruto de um parceria entre a secretaria de Educação e o Instituto CCR, discute, de forma lúdica e interativa, temas atuais como lições de cidadania, solidariedade e preservação do meio ambiente.

“A mensagem é séria, mas passada de uma forma lúdica e de extrema importância para as crianças, que conseguem absorver e levá-la adiante”, afirma a secretária de Educação, Wanderlúbia Antunes.

 

Segundo a Coordenadora do Departamento de Programas e Projetos da secretaria de Educação, Marilene Mendes, participaram do evento os alunos das escolas municipais Maurício Kopke, Astério Alves de Mendonça, Castelo Branco, Duque de Caxias, Serra do Sambê, Luis José de Moraes, Santos Loureiro, Professor Antônio Ferreira, Jaudet Curi, Professor Honesto de Almeida Carvalho, além do Centro Educacional Especial José Reis.

Texto: Denilson Santos
Foto: Galileu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *