Os diretores, professores e pessoal de apoio das escolas municipais participam, de 5 a 7 de fevereiro, da atualização do Projeto Político Pedagógico (PPP). Durante esse período, todas as escolas e creches municipais estarão funcionando em meio período.  É o PPP que orienta a escola na importante tarefa de formação plena do indivíduo. Essas reuniões estão sendo coordenadas pela equipe pedagógica dos colégios, que colocou em pauta assuntos como diretrizes sobre a formação de professores, gestão administrativa e proposta curricular, entre outras.

Segundo a secretária de Educação, Wanderlúbia Antunes,  o objetivo das reuniões é conversar sobre o projeto político pedagógico, como ele pode ser construído de forma participativa, apresentar sugestões para sua atualização e refletir sobre as condições necessárias para sua implementação. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN 9.394/96), no artigo 15, concedeu à escola progressivos graus de autonomia pedagógica, administrativa e de gestão financeira.

Novas Diretrizes – Ter autonomia significa construir um espaço de liberdade e de responsabilidade para elaborar seu próprio plano de trabalho, definindo seus rumos e planejando suas atividades de modo a responder às demandas da sociedade, ou seja, atendendo ao que a sociedade espera da escola. No PPP deve ficar claro o que será ensinado e qual será a metodologia adotada. A proposta pedagógica deve trazer, ainda, as diretrizes adotadas pela instituição para avaliação da aprendizagem, bem como do próprio método de ensino. No documento deve ser claro sobre a forma como a equipe docente vai se organizar para cumprir a proposta curricular.

Além disso, deve haver um plano para desenvolvimento e formação contínuos da equipe. Para que a proposta curricular e as diretrizes sobre o corpo docente sejam cumpridas é necessário que exista um suporte administrativo bem organizado. O documento deve apontar o caminho para que a gestão da escola viabilize os outros pontos.

“O Projeto Político Pedagógico (PPP) é um instrumento que reflete a proposta educacional da instituição de ensino. É um documento que deve ser produzido por todas as escolas, segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB)”, afirma a Wanderlúbia Antunes.

“Em suma, o PPP funciona como um mapa para que a instituição alcance seu potencial máximo, adequando-se ao contexto no qual está inserida e contribuindo para o crescimento e o desenvolvimento de seus alunos”, completa a secretária de Educação.

Texto: Denilson Santos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *