Vários atos pela internet marcaram o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, celebrado nesta quinta-feira, 2 de abril. Para marcar a data, profissionais da área de saúde, professores, entre outros membros da sociedade, aderiram ao tema da  campanha nacional: Autismo: “Respeito para todo o espectro”, e estão realizando uma manifestação nas redes sociais usando a hashtag #RESPECTRO, com o objetivo difundir informações para a população sobre o autismo e assim reduzir a discriminação e o preconceito que cercam as pessoas afetadas por esta síndrome neuropsiquiátrica.

Segundo especialista em psicomotricidade do Centro de Atendimento Educacional Especializado Neyde Nahid Mansur (CAEE) e diretora técnica do Espaço Inter Ação, Rosângela Martins da Silva Martinati, desde que a ONU em 2007,  homologou a data 02 de abril como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, em prol da divulgação de informações sobre o autismo na luta por mais direitos e menos preconceitos, é o primeiro ano que não acontecerão atos públicos em comemoração a data.

Esses atos acontecem em várias cidades do mundo, e tem o objetivo de fazer a sociedade discutir a questão e reafirmar o compromisso com a inclusão e a defesa dos direitos fundamentais das pessoas com o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Nesta quinta-feira (2), vários monumentos no mundo se iluminam de azul, como o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, para marcar a data. O azul foi definido como a cor símbolo do autismo, porque a incidência desta síndrome é mais comum nos meninos, na proporção de quatro meninos para cada menina. No Brasil estima-se que mais de 2 milhões de pessoas tenham autismo, mais da metade ainda sem diagnóstico.

No ano passado, uma caminhada, com a participação de representantes de vários seguimentos da sociedade, comemorou o Dia Mundial do Autismo.

“Rio Bonito sempre foi muito atuante em relação a conscientização sobre o autismo. No ano passado tivemos uma caminhada, com a participação de representantes de vários seguimentos da sociedade. Este ano, como vivemos esse período de pandemia por conta do coronavirus, não podemos fazer esse tipo de evento. Então é importante que, de alguma forma, as pessoas manifestem o seu desejo vestindo uma roupa azul, ou colocando uma lâmpada azul nas casas,  para que, mesmo de forma indireta, o município participe dessa manifestação”, afirmou Rosângela Martinati, que atua há 23 anos com pessoas com TEA.

O que é Autismo – O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é o nome técnico oficial do autismo. É uma condição de saúde caracterizada por déficit na comunicação social (socialização e comunicação verbal e não verbal) e comportamento (interesse restrito e movimentos repetitivos). Não há só um, mas muitos subtipos do transtorno, é tão abrangente que se usa o termo “espectro”, pelos vários níveis de comprometimento.

“Comemorar essa data é reforçar a luta pela inclusão, um direito de todo cidadão. É a busca da derrubada de barreiras e preconceitos. Uma pessoa com TEA pode nos revelar, de forma silenciosa ou até mesmo genial, um lado mais sensível do ser humano, fazendo-nos entender que temos muito mais a aprender do que ensinar”, garante a secretária de Educação, Wanderlúbia Antunes.

Texto: Denilson Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *