Com a suspensão temporária da Feira do Produtor, que era montada toda semana na Praça da Bandeira, no Centro, os agricultores familiares de Rio Bonito estão utilizando a tecnologia para a comercialização dos seus produtos. Em função da pandemia do coronavírus, a secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Econômico, juntamente com a Emater, estão organizando a venda das mercadorias produzidas pelos agricultores familiares diretamente ao consumidor, através de encomenda realizada por telefone.

A Feira da Agricultura Familiar foi inaugurada em janeiro desse ano e, antes da pandemia do Coronavírus, funcionava toda quinta-feira, das 6 às 14 horas, ofertando a população alimentos frescos e de qualidade. Quem sempre comprava os produtos da feira, agora podem adquirir aipim, abóbora, chuchu, jiló, pimentão, banana, caqui, além queijo, doces, geleias, batata chip, banana-passa e cachaça artesanal, entre outros, por telefone.

A secretaria municipal de Agricultura e Desenvolvimento Econômico e a Emater produziram um panfleto com o número do telefone dos agricultores e os produtos que estão disponíveis para a venda.

“Foi a forma que encontramos para vender nossa produção diretamente para o consumidor. Criamos esse serviço como forma de apoiar o desenvolvimento dos pequenos produtores do município. Foi uma maneira de evitar o desperdício da produção, garantir o sustento financeiro dessas famílias e também auxiliar o mercado consumidor, já que a recomendação é evitar aglomerações. Todo o trabalho desenvolvido está dando muito certo”, explica a secretaria de Agricultura, Daniele Rodrigues.

Venda Online – A pessoa do município pode fazer o pedido de acordo com o produto que está necessitando. Para isso, a secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Econômico e  Emater produziram um panfleto com o número do telefone dos agricultores e os produtos que estão disponíveis para a venda. Essas informações estão disponíveis no site e nas redes sociais da prefeitura.

O produtor rural Luiz Eduardo disse que a pandemia fez com que os produtores rurais buscassem outros meios para atender a demanda da população.

“É uma outra opção de mercado para o agricultor. A pandemia nos fez buscar outros meios para atender a demanda da população. Como o alimento é direto do produtor, temos condições de oferecê-lo a preços mais acessíveis que o mercado convencional, facilitando o acesso a todos os consumidores”, afirma o produtor rural Luiz Eduardo.

Texto: Denilson Santos
Fotos: Rogério Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *