Na noite de ontem, sexta-feira (17), uma ação que reuniu três Secretarias Municipais, com o apoio da Polícia Militar, fiscalizou e orientou mais de 10 comerciantes de bares e restaurantes, a proprietária de um salão de beleza, e até líderes de templos religiosos. Na ação, três bares tiveram que fechar as portas pois não possuíam registro municipal. Com o objetivo de cumprir os decretos municipais que restringem o funcionamento desses locais por causa da pandemia do novo coronavírus, a Secretaria de Saúde, com a Vigilância em Saúde; a Secretaria de Fazenda, através da Fiscalização de Posturas, e a Secretaria de Segurança e Ordem Pública, através da Guarda Municipal, percorreram quatro bairros da cidade, Boqueirão, Rio do Ouro, Bela Vista e Centro. De acordo com os secretários, a ação em conjunto acontecerá mais vezes.

Com a resistência de alguns comerciantes e a compreensão de outros, a Fiscalização de Posturas fechou três bares da cidade. “O objetivo foi verificar o cumprimento dos decretos municipais, em especial, a venda de bebidas alcoólicas por bares e restaurantes, que está vedada somente para serviços de delivery (por causa da pandemia do novo coronavírus), e também para ver alguns estabelecimentos que não estão regulares. Como resultado da ação de hoje, fechamos três estabelecimentos que não apresentavam seu devido registro e orientamos mais oito ou nove estabelecimentos que estavam funcionando com a venda de bebida. Nesses, foi solicitado o imediato encerramento da venda de bebida. No caso de uma reincidência, já são passíveis de multa e até, dependendo do caso, o encerramento de suas atividades por período indeterminado”, explicou o chefe do setor de Fiscalização de Posturas, Marco Aurélio Alves.

Para o secretário de Fazenda, Luiz Henrique Brito, o balanço da ação foi positivo e deve acontecer mais vezes. “Essas ações devem acontecer sistematicamente. Sabemos que o comerciante precisa ter o seu ganha pão, mas ao mesmo tempo a gente tem que tomar cuidado porque a população precisa se atentar nas questões de distanciamento e do uso de máscara. A gente pode perceber que com essa flexibilização, as pessoas estão se descuidando mais. Acho fundamental esse trabalho em equipe porque mostra que a engrenagem está funcionando de maneira adequada”, avaliou Luiz Henrique.

Em um dos locais visitados, uma igreja no bairro Boqueirão, a secretária de Saúde, Ana Célia D’Ávila se disse surpresa com o que viu. “Encontramos um número muito grande de jovens aglomerados. As pessoas que estavam na frente, no coral, estavam sem máscara. Fizemos as orientações necessárias, falamos com o pastor, e dissemos que vamos voltar para ver se ele cumpriu o que colocamos, e caso contrário, a igreja será fechada”, contou Ana Célia.

Ainda segundo a secretária, a ação conjunta foi necessária porque apesar do aumento de casos confirmados de covid-19 em Rio Bonito, a população não está respeitando as restrições estabelecidas em decreto. “Essa foi uma ação que a própria população já vinha cobrando, inclusive através das lives (que estão acontecendo toda semana na página do Facebook da Prefeitura). Fomos in loco de bar em bar, orientando e fiscalizando junto com a Secretaria de Fazenda. Em alguns bairros, fomos em igrejas que encontramos abertas. A população tem que entender que flexibilizar não é relaxar, espero que a gente consiga passar por tudo isso com a ajuda do povo”, disse Ana Célia.

 

Texto: Lívia Louzada

Fotos: Lívia Louzada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *