Na próxima semana, do dia 1º ao dia 7 de agosto se comemora a Semana Mundial do Aleitamento Materno, que este ano é voltada para a preservação do meio ambiente e tem como tema “Apoie a amamentação para um planeta mais saudável”. Na Sala de Amamentação – Posto de Coleta de Leite Humano Mães de Rio Bonito, localizada no Centro Pediátrico Municipal Dr. Almir Branco, apesar da pandemia, a data não passará despercebida. No próximo dia 5, as mães que forem até o posto imunizar seus filhos receberão orientações através de cartazes informativos e haverá distribuição de brindes às nutrizes, obedecendo todas as orientações sanitárias. O mês de agosto é conhecido como “agosto dourado”, pois simboliza a luta pelo incentivo à amamentação.

A fonoaudióloga e coordenadora da Sala de Amamentação, Ana Cláudia Rios explica que o tema definido pela Aliança Mundial para Ação de Aleitamento Materno (SMAM), “teve os olhos voltados para a “Agenda 2030 para um desenvolvimento sustentável do planeta”. Desde 1992 quando a ecologia era amplamente discutida, a SMAM traz a sustentabilidade em alguns de seus temas, porém, na atual realidade que nos pegou de surpresa, o tema “Apoie a amamentação para um planeta mais saudável” abraça também nossas aflições. Até o presente momento, todas as pesquisas afirmam que não há contaminação da covid-19 através do leite materno, então temos que celebrar o aleitamento materno”, afirma Ana Claudia.

Ainda de acordo com ela, “o aleitamento materno deve ser lembrado e celebrado, não só no mês de agosto, mas sempre. Precisamos resgatar a naturalidade da amamentação, que não é uma tarefa fácil, necessita de apoio e incentivo, mas é natural ao ser humano, com algumas exceções, que precisam ser respeitadas. Toda mulher merece ser acolhida nesse momento e saber que terá apoio para enfrentar esse desafio. É essa força e essa rede de apoio que nós, que trabalhamos com aleitamento materno buscamos construir”, disse a coordenadora.

Importância

No site da Sociedade Brasileira de Pediatria, o presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), dr. Luciano Borges Santiago, explica em uma matéria publicada, que a prática da amamentação, que ocorre desde a criação da humanidade, não tem custos para a família, não polui, economiza água, protege a camada de ozônio e ainda gera riqueza intelectual, um bem de extrema preciosidade para a humanidade.

“A SMAM 2020 nos lembra que precisamos cuidar triplamente. Cuidar do planeta doente, cuidar das pessoas doentes com essa nova virose e principalmente cuidar de nos comunicarmos melhor. É preciso falar e ser entendido. Falar bem alto que o aleitamento materno é insuperável; que lactantes com SARS-CoV-2 positivo, mas em bom estado geral e com cuidados adequados de higiene podem e devem sim manter a amamentação; que nós pediatras precisamos nos comunicar cada vez melhor com as famílias e juntos, através também do aleitamento materno, poderemos alcançar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”, diz o médico.

 

Texto: Lívia Louzada
Foto: Galileu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *