Começou no sábado (1º) a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa. A vacinação, que é obrigatória para bois e vacas (bovinos) e búfalos e búfalas (bubalinos) de todas as idades, é um compromisso dos pecuaristas junto ao Governo do Estado e à prefeitura para erradicar a doença no estado do Rio de Janeiro. Esta etapa da campanha vai durar todo o mês de maio, seguindo o cronograma nacional desenvolvido pelo Ministério da Agricultura. A disseminação da febre aftosa compromete o sistema produtivo, provoca prejuízos econômicos na produção pecuária e tem um impacto significativo no comércio de produtos agropecuários.

Para realizar a vacinação, o produtor deve adquirir as doses da vacina em locais autorizados e seguir todas as instruções até o momento da utilização. A prefeitura de Rio Bonito, através da secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, disponibilizou dois técnicos para vacinar os animais dos pequenos produtores rurais. O agendamento pode ser feito pelo WhatsApp (21 99947-9655). Logo após, para comprovar a vacinação, o produtor rural deve enviar a declaração de vacinação utilizando o Sistema de Integração Agropecuária (Siapec3). O formulário de declaração está disponível para o preenchimento no link: https://bit.ly/3tGkMYg, devendo ser enviado junto da nota fiscal, de forma digitalizada ou por foto.

A campanha de vacinação contra a febre aftosa começou em maio e termina em novembro.

O processo de vacinação e a declaração são fundamentais para a comercialização de produtos como carne e leite, e também para a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA), documento que autoriza o produtor a circular com seus animais. A declaração de vacinação e a atualização do rebanho existente deverão ser efetivadas on-line.

Os sintomas – Os principais sintomas da febre aftosa são feridas na boca, nas tetas e no casco. Os animais doentes salivam em excesso e andam com dificuldade. Por não conseguir se alimentar, o gado contaminado apresenta enfraquecimento e perda de peso. Muitas doenças apresentam sintomatologia semelhante à febre aftosa, por isso a notificação imediata desses sinais clínicos deve ser feita ao Serviço de Defesa Sanitária Animal.

Texto: Denilson Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *